terça-feira, 15 de dezembro de 2009

0

Você é generoso?

Por Hagton;


Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria. E Deus é poderoso para fazer que lhes seja acrescentada toda a graça, para que em todas as coisas, em todo o tempo, tendo tudo o que é necessário, vocês transbordem em toda boa obra. (IICo.9:7-8, NVI)
Você sabe o que é ser uma pessoa compulsiva? Segundo o dicionário Houaiss “diz-se isso de ou pessoa excessivamente escrupulosa ou fortemente impelida por uma compulsão íntima, a despeito da impropriedade da ação, ou melhor dizendo, compulsão é uma imposição interna irresistível que leva o indivíduo a realizar determinado ato ou a comportar-se de determinada maneira”.


Não consigo visualizar boas qualidades no individuo que é compulsivo, e você? O grande problema na pessoa que tem essa característica é que dificilmente ela reconhece a sua compulsividade. Uma área de exemplo de compulsividade para você avaliar é quanto às conquistas materiais.

Seguramente você teve (ou tem) algumas conquistas materiais, qualquer coisa. Quanto mais você deseja conquistar? Essas coisas exigem quanto de seus esforços e o quanto é importante essas conquistas na sua vida? Essas perguntas são dificeis para você? Bem, já dá para se ter uma ideia da compulsividade própria no que tange a conquistas materiais. Mas ainda assim, mais uma pergunta: Que preço você está disposto a pagar para ter o que precisa (material)? Essa respostas no mínimo já apontarão seus verdadeiros valores.

Não tenho nada contra aos sonhos materiais, as lutas para se conquistar bens na vida. Eu tenho e quero crescer materialmente falando, e trabalho muito para conseguir um pouco mais de “conforto”. O que tratamos aqui hoje é o nível de importância que isso tem na sua vida. Depois de muito “bater cabeça” descobri que a graça (favor imerecido) que Deus derrama sobre a minha vida é para abençoar as outras pessoas. Não é simplesmente para o meu bel prazer. Percebe a linha que divide compulsividade e sensatez? Luto com isso todos os dias e admito que muitas vezes me pego valorizando o superfluo e me dando ao desnecessário.

Paulo escrevia aos cristãos de Corinto para sensibilizá-los à caridade, ao amor ao próximo. Ele deixa claro que o importante não é a quantia, mas a “gratidão” a Deus pelo que já se recebeu. É essa convicção, da Graça de Deus, que leva o homem à generosidade. “Em tudo sereis enriquecidos para toda a generosidade...” (II Coríntios 9.11a). Busque no Senhor uma forma de sua confiança para abençoar com seus bens o próximo, mas faça-o! Pense nisto.

Boa Terça

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Todos os direitos reservados à Duanny Jorge. Tecnologia do Blogger.