quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

0

Vasos na mão do oleiro



Graça e Paz,
Ontem na Comunidade Vida do Araçagi, o Pr. Mário Porto fundamentou sua maravilhosa ministração em IICo.4:7-9, no qual transcreverei ipse liters na versão Almeida Atualizada:
Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. Em tudo somos atribulados, porém não angustiados; perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; 
Começou sua ministração citando Charles Chaplin que disse: Não sois máquinas! Sois homem!. Diante de tal afirmação, o Pr. Mário Porto nos trouxe uma reflexão a respeito da própria natureza humana: "Somos barros!". 


Muitas vezes achamos que podemos resolver tudo sozinho, numa "síndrome de super crente" no qual acreditamos que tudo gira em torno de nós. O que certamente não é verdade, pois precisamos sempre de uma mão amiga, de um companheiro, de um guia, de uma congregação para enfrentarmos os desafios que a vida nos impõe. A Bíblia nos afirma que podemos todas as coisas, Naquele que nos fortalece (Fp.4:13).
Fiquei a refletir sobre tudo o que tem acontecido na minha vida. Não muito tempo, duas profetisas chegaram de Brasília e fui surpreendido com o que elas me falaram. Como de praxe, orei para que Deus confirmasse tudo o que elas estariam a me falar. E lembro que uma das passagens citadas era de Jeremias 18:1-6. Esse é um dos textos mais sugestivos da Bíblia, isto porque o profeta é chamado não para pregar um sermão, como era de costume, mas para fazer o sermão. Ele então desce a casa do oleiro para ver como se molda o barro informe e faz dele um vaso belo, útil e precioso.
Nos tempos bíblicos existiam vasos de vários tipos, mas o mais comum era o de barro. Fazer um vaso de pedra seria muito difícil. Fazer um vaso de lama seria impossível. O barro, porém, com sua consistência e flexibilidade, é o material ideal para o trabalho do oleiro.
Naquele momento da minha vida, Deus desejava trabalhar no meu caráter. Isso era fato! como dizia o Pr. Wander Moreira. Mas para que eu permitisse que Ele trabalhasse, eu tinha que permitir... Não poderia ser duro como uma pedra e nem instável como a lama!
A verdade é que algumas pessoas são duras, insensíveis, inflexíveis. Não perdoam, não se arrependem, não choram, não mudam, não aprendem. Não deixam Deus operar em suas vidas, estão sempre falando "é tarde demais", "isso não vai dá certo", "Eu sou assim mesmo, não vou mudar".
Outras, por outro lado, são inseguras, volúveis como a lama, que só serve para sujar o lugar onde se encontra. Não podem ser moldadas... Mudam de idéia rapidamente. Não tem propósito definido. São sempre imprevisíveis e inconstantes. Com a mesma rapidez que se convertem, desviam-se.
O barro, entretanto, encontrado no melhor equilíbrio entre suas porções de terra e água, torna-se matéria prima para que o oleiro realize sua arte com liberdade e satisfação. Em outras palavras, o Oleiro precisa encontrar em nós o desejo de mudança e a vontade de querer mudar!
Precisamos aceitar o trabalho de Deus em nós, recebendo de bom grado o que sabemos ser a Sua vontade para as nossas vidas. Não podemos rejeitar o que vem de Deus!
Meus irmãos, em momentos de crise, deixe de lado a murmuração, o questionamento, a rebeldia, e aceite o trabalho do Oleiro.
Quando eu aceitei descer a Casa do Oleiro, Deus refez o vaso.
Reflita sobre isso!


Duanny Jorge

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Todos os direitos reservados à Duanny Jorge. Tecnologia do Blogger.