Escola Bíblica Discipulado

Venha estudar conosco a Verdade para a sua vida. Visão Holística. Todos os domingos as 10h na Comunidade Vida - Sede. Av. Castelo Branco, 466, São Francisco São Luís - MA - Brasil. Contato: (98) 3268-9378

Visão Holística do Livro de Romanos

A Epístola aos Romanos, é o sexto livro do Novo Testamento. É a primeira e a mais longa das Epístolas Paulinas, e é considerada a epístola com o "mais importante legado teológico".

Transformados pelo Espírito Santo

O Espírito Santo é que produz a salvação e a santificação no seu coração, pois Ele só fala de Jesus e revela o caráter de Deus a você (Romanos 5:5). É Ele quem dá intimidade com Deus. Adora-lO é obedece-lO.

Na caverna eu redescobri o meu refúgio!

Faça de Deus o seu refúgio! Deixe que Deus, não Saul, o cerque. Deixe que Ele seja o centro da sua vontade. Deixe enfim, que Ele seja o teto que proteje o ambiente da luz do sol, as paredes que detêm o vento, o alicerce sobre o qual você está.

As pedradas da vida

É no deserto das nossas vidas que Deus nos mostra o quão Ele é poderoso para fazer infinitamente mais! Neste artigo, encaro a difícil questão: Porque pessoas tão próximas são capazes de nos apedrejar?

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

0

O PLC 122 de 2006 poderá ser desarquivado!

No dia 19 de Janeiro do corrente ano, foi publicado a notícia - pelo site do Senado (www.senado.gov.br) - que o famigerado projeto de Lei Complementar poderia ser desarquivado. Abaixo a íntegra da notícia:

Projeto que criminaliza a homofobia poderá ser desarquivado

A senadora eleita Marta Suplicy (PT-SP) pretende pedir o desarquivamento do projeto de lei que criminaliza a homofobia (PLC 122/06). A informação foi confirmada pela própria parlamentar no Twitter.
O Regimento Interno do Senado estabelece que todas as propostas em tramitação há mais de duas legislaturas serão imediatamente arquivadas. Dessa forma, terão o arquivo como destino todas as matérias apresentadas em 2006, último ano completo dos trabalhos da 52ª legislatura, e dos anos anteriores.
Para o arquivamento das matérias não é considerada a relevância do tema, mas a antiguidade da proposição. As matérias arquivadas, entretanto, ainda poderão tramitar por mais uma legislatura, caso requerimento apoiado por um terço dos senadores (27) seja apresentado até 60 dias após o inicio do ano legislativo.
O pedido deverá ser aprovado em Plenário. O desarquivamento só pode ocorrer uma vez. Caso contrário, o projeto será arquivado definitivamente. A 54ª Legislatura terá início no próximo dia 1º, com a posse dos senadores eleitos em outubro de 2010.
Polêmica
Ao longo de sua tramitação, o PLC 122/06 provocou acirrados debates entre os defensores da proposta, como a senadora Fátima Cleide (PT-RO), que não se reelegeu em 2010, e aqueles parlamentares contrários à matéria, a exemplo do senador Magno Malta (PR-ES), para quem a aprovação do projeto criará "o império da homossexualidade" no Brasil.
Em entrevista à Rádio Senado nesta quarta-feira (19), Fátima Cleide disse que está confiante na nova composição do Senado e que espera que o projeto seja desarquivado e levado adiante nos próximos anos. A senadora ressaltou que diariamente ocorrem atos de violência contra homossexuais no Brasil, os quais sequer são registrados nas delegacias de polícia. Isso ocorre, segundo ela, em decorrência da falta de uma legislação que coíba e puna esse tipo de atitude.
União estável
Em 2011, os homossexuais com união estável reconhecida já poderão incluir seus parceiros na declaração do Imposto de Renda, desde que preenchidos os requisitos exigíveis à comprovação da união estável disciplinada pela legislação. A medida foi anunciada pela Receita Federal em agosto do ano passado.



Paulo Sérgio Vasco / Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

sábado, 22 de janeiro de 2011

0

Liberdade Definida

Queridos, estou tomando muito cuidado naquilo que afirmo. Hodiernamente tenho dito que precisamos ser livres para voltarmos à essência, ou seja, Deus, na Sua infinita sabedoria, nos criou com um propósito aqui nesta terra. É bem verdade que somos peregrinos em terras estrangeiras, mas temos um compromisso com Deus em sermos as suas testemunhas.
Nesta manhã, meditando na Primeira Carta do Apóstolo Pedro, no segundo capítulo, versículo dezesseis,  (IPe2.16), na tradução NVI diz:
Vivam como pessoas livres, mas não usem a liberdade como desculpa para fazer o mal; vivam como servos de Deus. 

Isso me fez lembrar a famigerada discussão entre Liberdade e Libertinagem. “Liberdade” é um dos anseios mais acen­tuados do ser hu­ma­no. Todos nós queremos ser livres. Desde os pri­mór­dios da existência humana isso tem sido evi­denciado. Todo homem anseia um dia ser independente. Esse sentido de “independência” é da natureza humana e se revela nas diversas searas, seja como indivíduo, como no contexto nacional, social, familiar, político, e até religioso.
Mas é bom ressaltar que, nem sempre, a busca sacrificial da “liberdade” significa um “bom combate”. Muitas vezes vai na direção maldosa e danosa ao ser humano. E até mes­mo o tradicional princípio filosófico que afir­ma que “a liberdade de um sempre deve se limitar à liberdade do outro” não tem sido res­­peitado, e o que se vê é um atropelando o ou­tro, sem escrúpulos, na busca do exercício da sua própria liber­dade e do seu próprio es­paço. Lamentavel­men­te essa é, tam­bém, a me­lancólica cons­tatação no ambien­te cha­mado cris­tão.

Mas o que é “li­ber­­­dade”? Na ver­da­de, muitos, em nome da “liberdade”, prati­cam “libertina­gem”. O conceito hu­ma­­no de “li­berda­de” é a facul­da­de de uma pes­soa fazer ou dei­xar de fazer, por seu livre arbítrio, qualquer coi­sa... Acontece que a liberdade dos homens, ou melhor, es­se conceito humano leva o homem ao exer­cício da “libertinagem” que é devas­si­dão, licenciosidade, desre­gra­mento de costumes, em uma frase: obras da carne.
Do ponto de vista de Deus as coisas não são assim. Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres. (Jo.8:36, NVI). Perceba nesta passagem que há Um, e somente Um, que nos torna livre: Jesus Cristo, o filho de Deus!
Quando assumimos a atitude de "fazer o que queremos", tornamo-nos insensatos e tolos! O pastor Wander Silva sempre me diz que estamos inserido dentro de um contexto, onde não podemos, ou pelo menos não devemos fazer o que o nariz aponta. Devemos cuidar, seriamente, para que, em nome de uma falsa “liberdade”, não ajamos como libertinos. Ser livre não é fazer o que queremos, e sim o que devemos! Somos livres em Cristo Jesus! O meu dever está em fazer a Sua vontade, que é boa, perfeita e agradável.
Só uma submissão total a vontade do Senhor, traz-nos experiência de liberdade. É importante que vivamos sob o constante Senhorio de Cristo, no sentido da experiência de Paulo, quando afirma: “Não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim” (Gl 2:20).
Fiquem com Deus e seja você... livre em nome de Jesus!
Um beijo no seu coração.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

0

No coração de Jesus está nossa razão de esperar

O escritor Hermes José Novakoski relata em seu poema:
O caminho é longo, mas é preciso saber percorrer e esperar, pois é no coração de Jesus que está a nossa razão de existir. Quando conseguirmos enfim repousar em seu coração, aprenderemos o que é a obediência, o que é saber esperar e ter confiança. Não podemos cair no conformismo e simplesmente deixar acontecer. Precisamos ter coragem e agir. Deus age através das nossas ações. Deus se revela em nossas ações desde que sejam à favor da vida, que promovam a vida acima de tudo.
Sempre tenho dito que Deus na sua infinita misericórdia permite certos acontecimentos em nossas vidas para percebermos o quanto Ele é grande. Andamos muitas vezes na permissividade do Senhor. Tentamos de todas as formas encurtar o caminho. Muitas vezes pegamos atalhos que inevitavelmente nos levará ao precipício. A origem da vontade permissiva de Deus está na ansiedade. A origem da vontade soberana de Deus está na espera.
Se olharmos para as pessoas hoje, são poucas as que mantém relações de amizade, confiança e amor, que perdurem por muito tempo. Hoje busca-se o imediato, o passageiro, poucas vezes queremos e sabemos esperar.
Estamos acostumados ao rápido, ao hoje, ao agora. O que desejamos tem que ser para já. A espera se torna agonia e aflição.
Fazendo uma visão holística do Antigo Testamento, podemos ver que o povo de Deus esperou anos e séculos para que se realizasse a promessa de Deus. Hoje não conseguimos esperar horas se quer. O próprio Deus, quando esteve encarnado entre nós - e se desfez de Sua glória e majestade - esperou 30 anos para iniciar seu ministério público. Quando falo de espera, falo de preparação, de conhecimento, de busca. Nos momentos de transição que passamos, é sempre bom esperarmos com paciência no Senhor.
Com a evolução da ciência muitas coisas foram e estão sendo descobertas, e isso é muito bom. Porém a nossa vida não está limitada ao âmbito científico, há um mistério, um porquê maior, onde buscamos a razão de existir e de praticar o bem.
Não podemos cair no conformismo. Porém, saber esperar é uma virtude que precisamos conquistar aos poucos. Saber que a semente tem seu ciclo de vida que precisa ser respeitado se quisermos colher bons frutos. Querer antecipar este ciclo é querer ser dono do ciclo da vida que não nos pertence.
Jesus esperou aproximadamente três anos para que os discípulos entendessem o que Ele queria e para que Ele tinha vindo à este mundo. Quantas vezes machucamos pessoas por não sabermos esperar. Cada ser humano tem seu ciclo, seu tempo para se revelar.
Muitas experiências negativas de incompreensão, desamor, fecham as pessoas no seu íntimo, no seu eu e é aqui que se conhece a dor da solidão.
Ainda bem que a nossa VIDA não está limitada somente a ciência, nem a nossa vontade ou luxúria. Ela transcende a todas essas coisas, nos remetendo ao âmbito divino onde o tempo é eterno e tudo se realiza de acordo com os desígnios divinos (vontade soberana de Deus).
As pessoas mais felizes e realizadas são as pessoas que vivem tranqüilas. Sabem que tudo tem seu tempo (Ec.3), que tudo se realiza no tempo oportuno e não há porque querer antecipar as coisas, angustiando-se.
É preciso acalmar o coração e saber esperar como Jesus esperou. A pessoa que compreende os desígnos de Deus, e anda na Sua soberana vontade sabe esperar o tempo necessário para que Deus se revele nela e por meio dela. Jesus sentiu-se angustiado quando se aproximava a hora de passar pela dor e pela morte, mas não antecipou nada. Poderia, mas não fez, porque sabia da importância de saber esperar o tempo certo para que tudo se realizasse plenamente. As vezes nos deparamos com situações onde tentamos acelerar o propósito de Deus. A minha palavra para você leitor ou leitora é: ESPERA NO SENHOR!
A angústia aumenta a dor e não permite que vivamos bem cada dia. É preciso entender que o tempo de Deus (Logos) não é o tempo da ciência, da biologia (Chronos). Deus tem seu tempo e sabe da importância de esperar para que tudo se realize.
O amor exige tempo. A amizade requer tempo e espera para que o outro possa se revelar melhor. Acalmar o coração para acalmar o corpo é muito importante para uma vida tranqüila, serena, em paz. Como é bom conversarmos com pessoas que nos enche de esperança, que nos edifica. É necessário esse tempo de conhecimento!
Com Jesus aprendemos esperar amando sem cair no conformismo. Esperar agindo. Vou tentar explicar melhor (como diz uma amiga minha). Há tempos que eu defendo a idéia de que amor é atitude. Então esperar amando, é ter esse tempo agindo em prol do conhecer. O amor não se limita ao tempo, porque é eterno e independe das nossas vontades egoístas. Por ser eterno ele pode ser vivido por todos nós em qualquer tempo sem nunca perder seu sentido nem sua razão de existir.
O amar não se limita as coisas. O próprio Jesus amou em transcendência, por isso Ele mesmo é a nossa razão de amar os outros, pois sabemos que quando conseguimos amar os outros verdadeiramente, é porque nos aproximamos e experimentamos do amor de Jesus. 
Repousemos, então, no coração de Jesus, onde está a razão de nossa existência e de nossa espera.
Soli Deo Gloria.
Por,
Duanny Jorge

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

0

Níveis de Fé


Antes do post sobre o Salmo 8 - que tem me impactado nestes últimos dias - gostaria de ratificar sobre os níveis de fé que podemos ter. Não estou falando aqui sobre evolução espiritual ou acepção de pessoas no Reino de Deus, mas sobre a superestrutura que estamos construindo nos alicerces da nossa fé. Veja o que está escrito em ICo.3:10-13, NVI:
Conforme a graça de Deus que me foi concedida, eu, como sábio construtor, lancei o alicerce, e outro está construindo sobre ele. Contudo, veja cada um como constrói. Porque ninguém pode colocar outro alicerce além do que já está posto, que é Jesus Cristo. Se alguém constrói sobre esse alicerce usando ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, sua obra será mostrada, porque o Dia a trará à luz; pois será revelada pelo fogo, que provará a qualidade da obra de cada um.
O fundamento é o Senhor Jesus Cristo. O centro de toda revelação de Deus está o Autor e o Consumador da nossa fé. Ele é o alicerce, e o que lançamos sobre este alicerce? Ouro, pedras preciosas, madeira, feno, prata ou palha? Sobre este ponto é que está o fundamento dos Níveis de fé.
A palavra fogo nos remete às provações que passamos nesta vida. Para sermos aprovados temos que ser provados! As atitudes de cada cristão em relação a essas provas vai mostrar que tipo de cristão ele é. Pois tudo será revelado um dia.
O Cristão Palha: A palha faz uma grande labareda e logo se apaga. Palha é erva seca, uma coisa fraca e sem proveito, sem utilidade. É aquela pessoa que acolhe com alegria as promessas do Senhor Jesus, mas logo a sua fé se esfria, deixando a pessoa estática, sem reação nenhuma.
O Cristão Feno: É a pessoa que se enche de emoção. É aquele não permanece com sua fé inabalável. É muito parecido com o Cristão Palha, suas atitudes são apenas, emoção, empolgação, mas a sua realidade está muito longe de ser transformada.
O Cristão Madeira: A madeira quando pega fogo ela não entra em combustão, ela se transforma em carvão primeiro antes de virar cinza. Esse tipo de cristão, é que aquele que ora está com a fé lá em cima, e ora com a fé lá embaixo. Não tem uma fé constante. Ele até começa bem na sua caminhada cristã, mas depois deixa as dúvidas encherem o seu coração, perdendo conseqüentemente as promessas de Deus, não deixando Deus terminar a obra que Ele começou em sua vida. Ele permanece no pecado por sua própria escolha, errando desse modo o Alvo!
O Cristão Pedra Preciosa: Com o fogo ela racha e perde o brilho. O brilho de uma pessoa de fé, sonhadora, é quebrado e ofuscado por não querer ouvir a voz de Deus e se santificar. Não quer pegar a sua cruz e seguir Jesus. Não quer pagar o preço que já foi pago. Só quer riquezas e glórias para si. Procura sempre o Senhor para receber uma bênção. Esse tipo de cristão, é aquele cristão teórico, fala muito bem de Jesus, evangeliza, faz até a Sua obra, ninguém fala melhor de Jesus do que este tipo de cristão, e ninguém é tão usado por Deus como este tipo de cristão, mas com segundas intenções... os homens não identificam que ele é um lobo na pelo de cordeiro. Este tipo de cristão “racha”, ele está sempre fugindo do altar do Senhor. É um cristão coma a fé teórica, e não prática.
O Cristão Prata: Cada vez que vai para o fogo, perde uma grama até acabar. É a pessoa que até participa da obra do Senhor, o tempo vai passando e só vai diminuindo sua fé. É o cristão que pensa que engana a Deus, o pastor e a si mesmo, finge para si mesmo o que não quer que os outros saibam. Obviamente que este tipo de cristão não tem nenhuma resposta de Deus, e com o tempo a sua vida vai definhando.
O Cristão Ouro: Tem uma ligação com o fogo, quanto maior o fogo mais puro e valioso ele fica. O ouro quando passa pelo fogo se purifica, assim é o cristão ouro, quanto mais provações ele passa, brilhante será a sua fé em Cristo Jesus.
Devemos encarar as provações como oportunidades que Deus está nos concedendo para crescermos mais na graça e no conhecimento. Tem um louvor que diz: cada vez que a minha fé é provada, Tu me dás a chance de crescer um pouco mais, as montanhas e vales, desertos e mares, que atravesso me levam pra perto de Ti.
E você? Que tipo de cristão você é? Que tipo de cristão você vai querer ser? Que tipo de obras você irá apresentar ao altar do Senhor? Ofertas de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha?
Lembrando que aquilo que você apresentar no altar, é o que você irá receber de Deus.
Que Deus abençoe a todos.
Soli Deo Glória

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

0

Posse, propriedade e fé

Você mora de aluguel?
Você ainda paga as prestações do carro ou da televisão?
Então você tem a posse da casa, mora lá, mas não é proprietário. Você tem a posse do carro ou da televisão, mas ainda não é a dono desses bens.
Juridicamente fazemos a distinção entre a posse e a propriedade de um bem. A fim de se caracterizar a posse, é necessário que o possuidor tenha o "corpus" (ter a coisa em seu poder), e "animus" (vontade de ter a coisa como sua), sendo que se tiver somente o "corpus" não será considerado possuidor e sim, detentor, não tendo, com isto, proteção possessória. Pode-se dizer que a propriedade é o direito conferido a alguém, ao qual lhe proporciona os poderes de posse, uso, gozo, disposição e ainda de reavê-lo de quem injustamente o detenha. Assim, posse é, digamos, a manifestação aparente da propriedade.
É possível existir a posse com o desejo de ser o proprietário, mas existe a posse onde não há o desejo de ser o dono. Dá para perceber a diferença? Tenho comigo um bem, uma condição que utilizo, mas não é minha, pertence a outra pessoa. A Lei estabelece as condições e o exercício de quem tem a posse e de quem tem a propriedade.

Não é raro a disputa entre a pessoa que tem a posse contra aquela que é a proprietária. Como exemplo temos a disputa pela posse e propriedade de uma favela que acontece entre o governo e os traficantes; briga entre quem financiou o carro contra aquele que não pagou mais as prestações. A Lei é sempre invocada nessas disputas mediante instrumentos do direito, não do amor, do vínculo afetivo!
Sua vida, sua existência é sua posse ou sua propriedade? Você tem tanto a posse quanto a propriedade de sua existência? Pode fazer o que quiser com ela sem dar satisfação a quem quer que seja? Ou ela lhe foi dada como posse e não como propriedade?
O Senhor nos deu a posse das nossas vidas no momento em que recebemos o pleno uso da existência.
Ouça o que Jesus nos disse: 'Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo.  Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram;  necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram'.
Eles reponderam surpresos:  'Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos?  Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?' (Mateus 25:35-39)
O dia dessa “posse eterna” certamente terá um esplendor divino, eterno. Esse que são chamados a esta posse subirão uma “rampa” comprometidos por amor com o Proprietário da existência de todos nós.
Uma última pergunta: a posse e a propriedade da fé, o exercício desta confiança que une você a um relacionamento com Deus é jurídico ou amoroso? A fé em Cristo Jesus, ressurreto nos dá posse a um relacionamento com Deus que se reflete no trato com o próximo, até com o inimigo.
2011 é mais um período de oportunidade para você tomar posse do amor de Deus por você e viver este vínculo de afeto com alegria, com confiança no Senhor Jesus. Esta é a base da vida com Deus, conhecida como vida cristã. É dessa vida que sua existência precisa!
Este ano será o ano da sua vida, creia!
Fiquem com Deus.
Soli Deo Glória.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

1

Posse da Dilma Roussef

Enquanto os automóveis desfilam lentamente por Brasília, milhares de pessoas se aglomeram nas calçadas e nos lindos canteiros à espera do espetáculo. Bandas marcham e desfilam barulhentamente, anunciando a chegada da nova presidente da República; agentes de segurança olham atentamente para a multidão e correm ao lado do Rollys Royse oficial. Pompa, formalidade, protocolo – símbolos modernos de alta posição social e prestígio - anunciam a posse de um novo chefe de Estado. Nós respeitamos e honramos.
Ao assistir antes de ontem a posse da Dilma Roussef fiquei a imaginar o quanto era difícil para o povo incrédulo e sem conhecimento da palavra aceitar o  Messias prometido, o Rei dos reis e Senhor dos senhores - Jesus Cristo. 
O nosso intento, sem dúvida é sermos uma igreja  que conhece as Sagradas Escrituras. Foi profetizado pelo pastor Mário Porto no culto da virada que a comunidade vida será reconhecida pela igreja que estuda a palavra!
Os Judeus esperavam um Líder que havia sido prometido há muitos séculos pelos profetas. Acreditavam que o Messias (o Ungindo) os salvaria de seus opressores romanos e estabeleceria um novo reino. Como Rei, Ele governaria o mundo com justiça. Porém, muitos judeus, não conhecendo a Palavra, olharam com indiferença para as profecias que falavam de um Rei, Servo do Senhor, que sofreria, seria rejeitado e morto. 
Então, não é de admirar que poucos tenham reconhecido Jesus como o Messias. Como o humilde filho de um carpinteiro de Nazaré poderia ser o prometido Rei? Mas Jesus era e é o Rei de toda a Terra!

Todos os direitos reservados à Duanny Jorge. Tecnologia do Blogger.